Bruno Reis não descarta exigir vacinação de servidores municipais

Depois de o governador Rui Costa (PT) decretar a exigência de vacinação dos servidores públicos e empregados públicos estaduais contra a Covid-19, o prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), diz que não descarta fazer o mesmo com os municipais.

Durante coletiva de imprensa, na manhã desta quarta-feira (17), o gestor municipal disse que, no momento, ele apenas tenta convencer os servidores a aderir a vacinação completa contra o vírus. O número de pessoas que ainda não tomaram as doses dos imunizantes é pequeno na avaliação dele.

“O número de servidores que não foram vacinados é muito baixo. Nós estamos ainda na parte da conscientização. No mês passado, nós tínhamos 2,6 mil servidores [não vacinados], isso representava 7%. Eu determinei que cada secretário chamasse eles para convencer e mostrar a importância [da vacinação]. Hoje, esse número está abaixo de mil. Ainda estou no processo de convencimento, mas não descarto essa medida, e outras para a população em geral, caso a gente não cumpra um número satisfatório”, comentou Bruno.

A Câmara Municipal de Salvador aprovou e vai enviar para sanção do prefeito o Projeto de Lei (280/2021) de autoria do presidente da Casa, Geraldo Júnior (MDB), que torna obrigatória a apresentação do comprovante de vacina para os funcionários públicos e terceirizados do município. A expectativa de Geraldo é que o prefeito sancione.

“Temos discutido muito com o prefeito da cidade e acho que esse projeto significa a conscientização da população. Nós temos que dar o exemplo. Já foi comprovado que o uso da máscara, distanciamento e vacina são fatores fundamentais para vencer a pandemia […] Tenho certeza que o prefeito irá sancionar”, disse o presidente da Câmara, que estava presente na pauta desta quarta.